Baixando músicas no TramaVirtual

•outubro 31, 2007 • 4 Comentários

Bom, recentemente achei umas músicas que gostei no site do TramaVirtual, um site que reune artistas e distribui a música deles gratuitamente, mas, para poder baixar as músicas tem que ser cadastrado no site, o cadastro é de graça, até aí nenhum problema, mas na página de download da música, tem um bug com o kubuntu + firefox (não testei em outras distros e navegadores), o que impossibilitava o download das mesmas, então estou aqui ensinando à fazer o download.

1- Escolha um artista pra baixar uma música, recomendo o DJ Raphael Gomes, irei usar as músicas dele no meu exemplo.

2- Clique em uma das músicas pra fazer o download, recomendo a música “Funk da Tropa”, feita pelo DJ Raphael, é uma música feita em cima do filme Tropa de Elite, muito boa a música e filme, vale a pena baixar a música e assistir o filme, fica a dica😉

3- Você perceberá que mesmo clicando em “Download” não irá baixar ela, ou não acontecerá nada, ou dará um erro no site, pois bem… Volte à página, onde tem a opção de download, e aperte Crtl+U.

4- O Crtl+U irá mostrar o código fonte da página, localize a seguinte parte:

http://media.trama.com.br/tramavirtual/mp3/m_45/229420.mp3″

Terá algumas tags html no início e no final, não postei aqui pois o blog iria dar zica, mas então, ao achar o link, copie ele e cole no navegador, ele irá dar a opção de salvar a música, feito isso, só escutar ela e pronto, tutorial acabado xD.

OBS: Eu não estou falando para burlar o cadastro, apenas que sistema de download tem um bug, e não achei outra forma de baixar a música sem ser esta, vale lembrar que tenho o cadastro e apoio o site pedir usuário e senha para baixar as músicas.

Minha opnião sobre o Kubuntu 7.10

•outubro 28, 2007 • 2 Comentários

Bom, pra quem esteve acompanhando o canal irc da Linux vs Windows sabe que baixei o Kubuntu Linux 7.10 para testar em meu notebook. A instalação foi simples, no final dela, ao iniciar o sistema rapidamente (sim, o tempo de boot melhorou muito) o sistema já me informa que há hardware meu que requer driver proprietário, ao clicar na mensagem sou informado que meu softmodem/winmodem, um Agere AC’97 (usa o chipset smartlink, o mesmo usado nos pctel e lg i56* e lg netodragon) necessita de um driver proprietário, eu coloquei para instalar o driver e jaá imaginava que o sistema iria baixar os arquivos na internet, mas não… apenas pediu o cd de instalação do Kubuntu e instalou o que era necessário. Todo o hardware de meu humilde notebook ecs g557s foi detectado e configurado sem problemas, fiquei surpreso, tenho que admitir, ja que até mesmo meu teclado lazarento funcionou tranquilamente.

Também presenciei alguns bugs como um do Kopete, só de conectar à rede Msn o kopete morria, fora isso, instalei o amsn e o firefox (sim, o firefox não vem no kubuntu, o usuário tem que apt-getar ele), os meus dispositivos usb foram bem gerenciados (meu pendrive e mp3) sem problemas, mas tive os mesmos problemas de sempre com os temidos codecs da Real (necessários para assistir vídeos em rm e rmvb). Já que a placa de vídeo do notebook é uma SiS, o RealPlayer roda muito mal, travando constantemente o vídeo, então tive que fazer um método alternativo para assistir os vídeos em rmvb.

1- Baixe os arquivos necessários em:

http://www.geocities.com/xxmarukoddxx/codecs.tar.gz

2- Descompacte-o em seu diretório /home:

tar -zxvpf codecs.tar.gz

3- Configurando o Kaffeine para utilizar os codecs:

– Execute o Kaffeine, vá no menu “Configurações” e depois em “Parâmetros do Xine”.

– Vá em “decoder” e na caixa “path to RealPlayer Codecs” insira o diretório dos codecs, no meu caso foi “/home/maru/codecs”, depois disto clique em “aplicar” e depois em “Ok”. Se tudo funcionou corretamente, como funcionou aqui, você será capaz de assistir os vídeos rmvb sem problemas.

O Kubuntu está muito bom pelo que estou presenciando, apesar de eu ter tido problemas com as versões anteriores dos *untu. Espero que tenham gostado desse pequeno “review”(se é que pode ser chamado assim) e seja útil para vocês.

Usando o editor de fluxo SED.

•setembro 25, 2007 • 1 Comentário

O sed é um editor de fluxo muito poderoso, com ele você pode fazer operações de procura, substituição, inserção e apagamento em arquivos de texto, sendo muito usado por programadores shell script. A sintaxe dele é:

[<endereço1>,[<endereço2>]} <função> [argumento]

Quer ver um exemplo? Que tal substituirmos a palava EMO por VIADO em um arquivo de texto? É muito simples…

sed ‘s/emo/viado/g’ ~/arquivo.txt

O comando acima substituiu a palavra emo pela palavra viado no arquivo “arquivo.txt” localizada em seu diretório /home.

Agora… se eu quizer substituir a palavra RUIM por BOA, apenas nas linhas de 1 até a linha 7? Também é muito fácil, basta usar o seguinte comando:

sed ‘1,7s/ruim/boa/g’ arquivo1.txt

Pronto, substituimos a palavra RUIM pela palavra BOA apenas nas linhas 1 à 7 no arquivo “arquivo1.txt”
OBS: Se a opção “g” for usada ele irá substituir todas as ocorrências na mesma linha, isso ocorre pois o padrão do sed é substituir apenas a primeira ocorrência encontrada em cada linha, por exemplo, na frase: “Aquela cerveja é RUIM, mas a outra não é RUIM.”, se não usarmos a opção “g” apenas a primeira palavra “RUIM” será substituida.

Agora… se você quer apagar algumas linhas em um arquivo, mas acha ruim ficar apertando o backspace a vida toda, o sed também faz esse trabalho pra você. Não acredita? então que tal apagar as linhas de 1 à 10 de um arquivo com um único comando?

sed ‘1,10s’ arquivo1.txt

Pronto, você apagou as linhas de 1 à 10 no arquivo1.txt, simples assim com um único comando ^^

Agora… você quer apagar todas as linhas de um arquivo de 300 linhas por exemplo, mas quer manter apenas as linhas 2 à 20, como apagar todo o resto sem ter uma tremenda trabalheira? Com o sed isso também é algo muito fácil, vejá só…

sed ‘2,20!d’ arquivo1.txt

Bom… vamos ver mais um exemplo… que tal apagar todas as palavras “PALAVRÃO” que tem em um texto? Fazer isso em um arquivo com 5 linhas é facil, mas e quando são várias linhas?

sed ‘/palavrão/d’ arquivo1.txt

Que tal inserir texto em um arquivo antes de determinada linha? Também é algo muito simples, vamos entender isso agora.

sed ’10a\
> texto a ser inserido \
> texto a ser inserido’ arquivo1.txt

O comando acima irá inserir o texto desejado depois da linha de número 10 do arquivo, e agora se eu quiser inserir texto antes da linha 10? Basta trocar a opção “a” pela opção “i”. Viu como é simples?

Bom, este artigo termina por aqui. Abordei as principais funções do sed, e espero que tenha ficado algo claro para os leitores. O sed é seu amigo, basta saber usá-lo corretamente😉

Burlando bloqueios de sites usando proxy

•setembro 23, 2007 • 15 Comentários

Este tutorial consiste em um passo a passo de como burlar o bloqueio de determinados sites que as empresas impõem, como o orkut, youtube, salas de bate-papo…

1- Escolhendo um servidor proxy:

Vá ao site http://www.publicproxyservers.com, esse site tem uma lista de vários servidores proxy. Mas… o que é um servidor proxy, maru? Com certeza, na empresa em que você trabalha ou na escola ou faculdade que frequenta tem um, é o servidor proxy que bloqueia acesso ao Orkut, MSN, YouTube, salas de bate-papo,… Quando configuramos para usar um proxy externo, as informações de sites que quero acessar não passam pelo proxy interno da empresa, e sim pelo externo, ou seja, não deixa rastro algum dos sites que você abriu. =)No site http://www.publicproxyservers.com tem uma lista imensa de servidores proxy externos, é uma questão de sorte, muita sorte mesmo, tem servidores mais rapidos, outros mais lentos, e também tem aqueles que estão fora do ar. É como um tiro no escuro, você não tem certeza se o que acertou é bom ou ruim. Ao escolher um servidor proxy, dê preferência para os Anonymous e High-Anonymous. Após escolher um servidor, anote o IP e Porta usada pelo proxy escolhido.

2- Configurando o browser para usar o proxy escolhido:

Agora é a parte de por a mão na massa, ou seja, vamos configurar o seu browser(navegador de internet) para usar o proxy que escolheu na listinha do publicproxyservers.com.

Configurando no browser Opera:

Tools -> Preferences -> Advanced -> Network.

Então, clique no botão Proxy Servers, e marque a checkbox de HTTP, insira o servidor proxy escolhido nele e a porta no campo seguinte. Dê ok em tudo, feche e abra o Opera novamente. Se a pagina inicial entrar, funcionou!!! Divirta-se. Caso não funcione, volte lá, desmarque a CheckBox, dê ok em tudo, feche o Opera e abra novamente. Volte ao publicproxyservers.com, procure outro IP e repita a operação.

Configurando no browser Firefox:

Menu Edit -> Preferences -> Advanced -> Network -> Settings -> Manual Proxy Configuration -> Http Proxy -> e coloque o ip e porta do proxy que foi escolhido na lista do publicproxyservers.com, abra um site qualquer, se abrir, pronto, o proxy está configurado e funcionando, caso contrario, desabilite o proxy, volte ao site, escolha outro e repita o processo.

3- Considerações finais

Espero que tenha sido util esse tutorial para a grande maioria, esse tutorial serve para acessar o orkut,msn, youtube, salas de bate-papo,… entre outras tranqueiras que as empresas proibem acesso aos usuários, e esse tutorial serve para liberar acesso de cadastro ao fotolog.net, então, é uma mão na roda para todos. =)

Instalando o Blackbox no Windows.

•setembro 4, 2007 • 1 Comentário

O Blackbox é um gerenciador de janelas leve, e muito funcional,
pra quem tem um micro antigo, usá-lo junto com o Total Commander
poderá liberar muitos MB em sua preciosa RAM.

Um comparativo entre o Explorer.exe (Default do Windows) e o Blackbox:

-Explorer.exe = 26mb ram ocupados.
-Blackbox = 14mb ram ocupados.

obs: Isso é aproximadamente, pode ser + ou – que isso, dependendo do caso.

Viram a diferença? Isso para um micro com 32 ou 16mb de ram, faz muita
diferença, pois com a ram liberada, podemos usar muitos outros aplicativos. =D

Para instalar, baixe o arquivo aqui

Descompacte o arquivo em um diretório, recomendo fazê-lo em sua pasta
“Arquivos de Programas”, após isso, abra a pasta e rode o arquivo “Blackbox.exe”,
nisso o explorer.exe será fechado e você verá uma interface diferente.

Clique com o botão direito em qualquer canto vazio na tela e clique em:

Blackbox -> Install -> Install

Responda às perguntas feitas e pronto, você estará usando o Blackbox como
gerenciador de janelas.

OBS: Instale junto o Total Commander, pois se usar o Windows Explorer,
irá carregar o processo explorer.exe o que não adiantará a economia de ram, mas
caso esteja esbanjando seus mb de memória, pode usar o explorer.exe tranquilamente.

O Blackbox também é recomendado praqueles que já se cansaram do visual chato do

windows, não importando a versão dele.

Como os antivírus são eficientes…

•agosto 16, 2007 • 6 Comentários

Estava ontem no msn, tranquilão conversando com o pessoal e navegando no google, quando a Paola (uma garota que conheço), me pede ajuda para remover um vírus que um dos computadores de onde ela dá aula de informática básica, estava com um vírus que o avast não conseguia remover.

Pedi que me enviasse uma screenshot do momento em que o avast acusava o vírus.

Após ver a tela, vi que se tratava do worm “Win32:Winfig”, e o arquivo que estava sendo

acusado de estar infectado, era o winfig.exe que estava localizado em “c:\windows”.

Pesquisei um pouco para reunir informações sobre este vírus, e achei a informação

de que ele modifica a inicialização do sistema para que o arquivo infectado seja

executado assim que o windows for iniciado.

Além disso, também vi que ele infecta além do “c:\windows\winfig.exe”,

o “c:\windows\system32\kernelg.exe” , e em alguns casos, ele altera o wallpaper do usuário, sendo exibido um wallpaper de fundo preto com a cara de um alien na cor verde. Vi também que em alguns casos, ele altera o autoexec.bat (windows 9x)  e pode exibir as seguintes mensagens ao tentar iniciar o windows:

“Vírus Melissa
Quando vc me infectou, fiquei
apaixonado, desde entäo, venho
confeccionando-me,para um dia
encontra-lá, faz meses que venho
me reproduzindo através da internet
e de disquete, mas agora acabou,
näo vou mais correr atraz de vc, e
se eu näo posso telá, niguém mais a
terá…

Te Amo Melissa
Vírus Carlos”

e essa outra mensagem:

“Anti-Virus
Seu computador foi infectado pelo vírus Carlos
Reinicie seu Micro
[ Aceptar ]”

Ao reiniciar o computador, exibe outra mensagem:

“Cuidado com o comigo…
Eu voutarei…
Autoexec.bat destruido…
Eu vou voltar…”

Achei também a informação de como o vírus se propaga, e ao falar pra Paola como era feito, ela se espantou, pois não tem ideia de como o vírus chegou ao computador… A propagação é feita atravéz de disquetes infectados!!!

Após isso tudo, começei a auxiliá-la para remover o vírus:

-Ative a opção para exibir arquivos ocultos.

-No caso do windows 2000 ou XP, desabilite a restauração do sistema antes de continuar.

Removendo o vírus:

-Inicie seu computador em modo de segurança

-Vá ao diretório c:\windows e exclua o arquivo winfig.exe

-No diretório c:\windows\system32,  exclua o kernelg.exe

-Execute o comando msconfig e desmarque a inicialização dos arquivos “winfig.exe”

e “kernelg.exe” na aba “inicialização” e na aba “win.ini”, apague as seguintes linhas:

“[windows]
run=c:\windows\winfig.exe

[windows]
run=c:\windows\system\kernelg.exe”

-Pronto, vírus removido.

-Reinicie o computador

Avast 0 x 1 Maru.

Com isso, eu cheguei à seguinte conclusão: O melhor antivírus é o usuário.